Os ícones da moda que perdemos em 2016

Sonia Rykiel, Bill Cunningham e outros que vão deixar saudades e uma marca eterna no cenário fashion.

 

 

O designer britânico faleceu de um ataque no coração em outubro. Ele fazia parte da ‘nova guarda da moda britânica’, ao lado de nomes como Christopher Kane, Roksanda Ilincic e Jonathan Sauders, e trouxe para o cenário um amor pelas cores vibrantes, pelas estampas e uma moda otimista e divertida. O estilista foi diretor criativo da Adidas e tinha uma série de projetos relacionados à área tanto no Reino Unido quanto na Austrália.

Sonia Rykiel

 

Aos 86 anos, Sonia faleceu em agosto deste ano. A designer era um ícone no mercado por dar à moda francesa uma sensualidade divertida que, até então, não se via por lá, sem contar os seu maravilhoso trabalho com tricô – e não à toa acabou virando queridinha das fashionistas e de tantos outros estilistas. Atualmente, sua marca é mantida pela diretora criativa Julie de Libran, que no final do seu desfile de verão 2017, colocou na passarela modelos ruivas com malhas que diziam ‘Rykiel para sempre’.

James Galanos

O designer norte-americano James Galanos morreu aos 92 anos em outubro. Ele era conhecido no mercado por ser o preferido da ex-primeira-dama estadunidense Nancy Reagan, que usou suas criações para os bailes de inauguração do governo do estado e depois da presidência do marido, Ronald Regan.

André Courrèges

As contribuições de Courrèges para a moda são tantas que é difícil quantificá-las. Ele, que faleceu em janeiro, aos 92 anos, é creditado pela co-criação da minissaia junto com Mary Quant, por definir o branco como a cor base do minimalismo e participou da disseminação da subcultura mod (que definiu moda da década de 1960) junto com Pierre Cardin e Paco Rabanne.

David Bowie

Sim, Bowie foi um marco na música, mas sua influência na moda é inegável. Com um visual sempre muito à frente do seu tempo e cheio de ousadia, os looks do músico, que faleceu em janeiro, marcou época e, com certeza, continuará servindo como inspiração e referência para o mundo fashion.

 

Fonte: http://www.jpnews.com.br/noticias/2016/3094300/os-cones-da-moda-que-perdemos-em-2016